Como os jogos de tabuleiro ajudam no atendimento psicológico?

Atualizado: Ago 11

Quando pensamos em jogos de tabuleiro, pensamos em momentos de lazer com amigos reunidos. Mas os jogos podem ter diversas utilizações além dessa. Em julho de 2019, a Forbers, divulgou dados das Pesquisa Game Brasil, que aponta um crescimento de 7,5% do mercado de jogos de tabuleiro no ano. Ainda de acordo com a pesquisa, foram lançados 4000 jogos de tabuleiro, somente em 2018. Em paralelo, cresceram as categorias de jogos, os modos de jogar e o uso a eles atribuídos, sendo também utilizado na prática profissional. Dentre os profissionais que empregam os jogos de tabuleiro como potente ferramenta de trabalho, está o Psicólogo.

A partir das diversas modalidades de jogos de tabuleiro, desdobram-se possibilidades de intervenções com crianças, jovens e adultos. Os jogos podem ser utilizados par

a trabalhar desde elementos de comunicação entre casais até auxiliar crianças e adolescente a entrarem em contato com suas emoções.

Mas, como os jogos de tabuleiro ajudam no atendimento psicológico?


Mais que diversão e oportunidade de fortalecer laços sociais, a prática de jogos de tabuleiro está associada ao desenvolvimento humano, de forma educativa e terapêutica.


Os jogos de tabuleiros são instrumentos muito uteis tanto no processo de entendimento do funcionamento do paciente quanto no desenvolvimento de habilidades. Eles podem ser usados para:

  • psicoeduação: ferramenta que promove ao paciente o conhecimento em relação as questões emocionais,

  • regulação emocional: a capacidade do indivíduo lidar com situações estressantes e desafiadoras de maneira saudável,

  • adequação de comportamento diante dessas situações.


O jogar desperta diversas emoções em seus jogadores. Por meio da observação dos movimentos do jogo realizado pelos pacientes, é possível perceber como ele lida com frustrações, se é mais cauteloso ou arrojado, se é impulsivo ou planeja as suas jogadas, agressivo ou defensivo. Além disso, podemos observar o nível de compreensão e aderência em relação as regras, se apresenta segurança para realizar as jogadas entre outras inúmeras possibilidades.


Sendo assim, através dos jogos, o profissional tem um leque de probabilidade de intervenções para o desenvolvimento de habilidade sociais. Algumas delas são:


Empatia e Habilidade para lidar com as realizações


Podemos trabalhar a empatia de diversas formas durante o jogo. Desde a hora que estamos aguardando para poder fazer a jogada e sou cobrado de forma descuidada pelo outro jogador até quando ganhamos ou perdemos um jogo. Nesses momentos, temos a possibilidade de perceber como é estar nesse lugar. E assim, abre a possibilidade de agirmos com outro de forma mais empática diante das nossas realizações.


Tolerância a frustração


Essa habilidade é constantemente treinada e trabalhada durante o jogar. Desde o perder a partida passando pelo resultado do dado não ser o desejado. Além disso, existem diversos jogos de trilha onde as possibilidades de se retroceder e avançar no jogo são muitas.


Comunicação


A comunicação pode ser muito bem trabalhada principalmente nos jogos de cooperação ou de formação de equipes.


Autonomia, iniciativa, segurança e capacidade de tomar decisão


É muito comum observar, principalmente em algumas crianças, a falta dessas habilidades até mesmo para fazer uma jogada. Essas costumam perguntar se podem fazer assim, se está certo, o que achamos dessa jogada. O jogar possibilita o treinamento dessas habilidades.


Flexibilidade, jogo de cintura e resolução de problemas


Os jogos permitem as pessoas a lidarem com imprevistos e a pensarem em formas diferentes de alcançarem os resultados que gostariam.


Impulsividade, ansiedade e capacidade de planejamento


Principalmente os jogos que envolvem estratégias são super interessantes para trabalhar a habilidade de pensar antes de agir e as consequências de fazer algo impulsivamente.


Capacidade de lidar com regras


Todo jogo tem uma regra que precisar ser seguida. A partir disso, é possível trabalhar a importância da regra para organização das coisas.


Persistência


Muitas pessoas costumam desistir de realizar algo quando se deparam com os primeiros obstáculos. Os jogos são instrumentos excelentes para trabalhar isso. Pois, só podemos saber quem ganhou o jogo quando ele finaliza e os resultados ao longo do jogo podem alterar muito. Sair do jogo antes de acabar é certeza de perder. E essa é uma metáfora fortíssima para a vida.


Além das habilidades citadas acima, ainda podemos trabalhar o desenvolvimento do raciocínio lógico, visão estratégica, concentração, memória entre outras.


Os jogos são um recurso utilizado por profissionais da psicologia e outras áreas como ferramenta para o desenvolvimento humano. Ou seja, o jogo não é jogado por jogar dentro de um atendimento psicológico. O psicólogo sempre traz o jogo com um propósito alinhado à demanda de cada paciente.



Sabe o que é mais legal? É que o jogo de tabuleiro também é um recurso terapêutico fora das paredes do consultório. Pois, os jogos de tabuleiro têm a capacidade de reunir pessoas de diversas idades em um momento de interação e descontração facilitando os relacionamentos interpessoais. Dessa forma, jogar pode ajudar as pessoas a lidarem com a ansiedade, o estresse e mesmo o cansaço e a fadiga do dia a dia uma vez que promove a desconexão com os problemas da vida. Pode combater a demência e ajudar a treinar o cérebro para determinados tipos de desafios.


E você? Gosta de jogar jogos de tabuleiro?


Você, que é psicólogo, utiliza jogos de tabuleiro e seus atendimentos? Venha conhecer aqui uma forma de utilizar esses jogos no atendimento online.


11 visualizações

Rua Conde de Linhares, 837 - Cidade Jardim

Belo Horizonte - MG

(31) 99636-9874

  • Facebook
  • Instagram
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now